Refluxo

A doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) é uma das desordens mais comuns na prática médica e considerada endêmica na população. É uma doença crônica relacionada com o fluxo retrógrado do conteúdo gastroduodenal para o esôfago e/ou órgãos adjacentes, resultando em um variado espectro de sintomas e sinais, associados ou não a lesão tecidual.

A DRGE é tratada por gastroenterologistas há diversos anos, tendo como principais sintomas a dispepsia (azia, dor de estômago, má digestão). Nas duas últimas décadas, atenção especial vem sendo atribuída a gama de manifestações extra esofágicas ou atípicas da doença, causada pelo chamado refluxo extra esofágico, com manifestações atípicas orais, faríngeas, laríngeas e pulmonares.

Esta entidade clínica é também denominada Refluxo Laringo-Faríngeo (RLF).

Refluxo Gastroesofágico (RGE) x Refluxo Laringo-Faríngeo (RLF)

Pacientes com RGE apresentam dispepsia e esofagites como sintomas principais.

Pacientes com RLF não apresentam queixas digestivas ou esofagites. Queixam-se de rouquidão, pigarros, tosse, globus faríngeo (sensação de corpo estranho na garganta).

Pacientes com RGE refluem em posição supina (deitado) a noite causando esofagite, enquanto que os com RLF apresentam episódios de refluxo em posição ortostática (em pé) ao longo do dia.

Acredita-se que defeito primário no RGE seja o EEI (Esfíncter Esofágico Inferior) , enquanto no RLF está no EES (Esfíncter Esofágico Superior).

SINAIS e SINTOMAS do RGE

Pirose (queimação), azia, regurgitação, eructação (arrotos), soluços, língua saburrosa, às vezes portador de hérnia de hiato.

O RGE pode levar a esofagite, câncer de esôfago e dor torácica não cardíaca.

SINAIS e SINTOMAS do RLF

Rouquidão, globus faríngeo, engasgos, tosse, pigarro, dor de garganta, espasmo de glote, dispnéia (falta de ar), aftas, erosões dentárias, halitose, sialorréia (aumento de salivação).

O RLF pode levar ao desenvolvimento de rinossinusites, otites, faringite, laringite crônica, nódulos e granulomas de pregas vocais, câncer de laringe, exacerbação da ASMA, pneumonia recorrente.

refluxo

Diagnóstico

 

Laringoscopia

Possibilita visualizar a inflamação causada pelo conteúdo gástrico nas cordas vocais, presença de nódulos e outras possíveis alterações.

Teste terapêutico de supressão ácida gástrica

Tratamento medicamentoso para observar se ocorre a melhora dos sinais e sintomas.

pH-metria de duplo-canal de 24h

Identifica a frequência que o refluxo ocorre em 24 horas e o nível que o conteúdo gástrico atinge no esôfago.

Eletromanometria esofágica

Mede a pressão dos esfíncteres esofágicos.

Cintilografia

Útil para documentar a aspiração pulmonar de material gástrico, Frequentemente realizado em crianças para substituir a pH-metria.

Tratamento

 

Mudanças comportamentais

Abstinência de fumo e álcool. Evitar deitar de estômago cheio, alimentos gordurosos, chocolate, café e condimentos fortes. Fracionar a alimentação evitando a má digestão e manter peso ideal. Elevar a cabeceira da cama.

Farmacológico

Medicamentos como antiácidos e procinéticos.

Cirúrgico

(Fundoplicatura Laparoscópica). Nos casos de hérnia de hiato e falha do tratamento clínico.

Gastroenterologista

Nos casos de RGE.

Pneumologista

Na presença de sintomas pulmonares.